24 maio 2009

ontem foi só um dia

Arruda dos Vinhos
Abril 2009




Sexta-feira aqui o tasco fez três anos de existência. Não me esqueci, em parte devido à oportuna lembrança do meu caro Des umas semanas antes, porém não fez sentido celebrar. Não que não me sinta orgulhosa do trabalho feito, da evolução que sinto em mim – apesar de estar longe da desejada que a letargia é uma coisa lixada - e de continuar a manter activo e actualizado o blog. Não é de todo perfeito, contudo é parte de mim e muitas vezes espelha o meu humor e o que me vai na alma. É também o meu canto, lugar de encontros e animadas tertúlias que já me deu a conhecer tantas pessoas e como tal tenho-lhe uma estima genuína. Simplesmente cada vez menos faz sentido a celebração de datas, pois tenho para mim que a celebração deve ser diária e cada dia que passamos e vencemos merece ser comemorado.
Hoje, por exemplo, a minha vitória foi ter conseguido montar sozinha uma estante do Ikea - tarefa que não é indubitavelmente para todas. Tinha eu pensado em libertar a gaja que há em mim a contrariar a pequena camionista que sou, pintando as unhas daquele vermelho vivo que dá ganas de as cravar numas nalgas, e ao invés disso acabei por libertar o trolha que há em mim, dedicando-me e a esse belíssimo passatempo que é a bricolage, o que, convenhamos, é uma actividade deveras interessante para se levar a cabo num serão de domingo (e com isto descubro que a palavra nalga existe mesmo e que significa efectivamente nádega – palavra de Priberam!!).
Tinha já aqui a estante encaixotada há uma semana e tal à espera de uma alma caridosa que me prestasse pronto auxílio, ou seja, um homem que fizesse o trabalho sujo por mim, quando por sugestão da minha querida e excelsa Neka decido abrir a porra da caixa para espreitar as instruções e ver as ferramentas necessárias. Pois sim, que as instruções são simples e tudo me pareceu fácil, afinal é só encaixar peças, e pus bravamente mãos à obra. Mãos e o resto do corpinho, que aquilo foi ao murro, a joelhadas e a todo o peso que pudesse colocar para encaixar a porra das peças! Ainda fui orgulhosamente feliz buscar as minhas ferramentas (sim, eu tenho variedade considerável de ferramentas e o meu sonho é ter um berbequim e esburacar paredes), para depois descobrir que afinal a ferramentazinha em questão até vem com o resto das peças, numa demonstração cabal da minha tarouquice, e que o que me faltava mesmo era a força necessária para tal empreitada. Foi assim que, à terceira peça, me apercebi que a montagem não seria tão fácil e pacífica como tinha imaginado. Ainda enviei uma mensagem desesperada ao amigo alienado que mora ao virar da esquina, todavia sem nunca desistir que eu gosto de provar que consigo ser muito macho (ele também não respondeu, portanto não me restava alternativa). Era ver-me qual verdadeiro trolha, de tronco nu a bufar em volta do móvel e a emanar esse estonteante odor a cavalo, com a diferença de trajar aquela peça de vestuário que suporta as mamas - coisa que calculo que a maioria dos trolhas não use, pelo menos no local de trabalho. Ele foi virar e revirar estante, ele foi marteladas, ele foi, como supracitado, murros e joelhadas, ele foi pensar que os homens sempre têm alguma funcionalidade e que me estava mesmo a dar jeito um, e uma teimosia obstinada em como, na épica e terrorífica batalha que se desenrolava entre mim e a estante, eu sairia vitoriosa. E saí! Eis que passado duas intermináveis horas, com alguns forçosos intervalos para recuperar as forças e o fôlego , a sentir as costas e os bracinhos completamente doridos e a mão direita quase em ferida - e ainda com receio que me tivesse parado a digestão do chá das 5 very british em que comi e bebi que nem uma marabunta - a estante ficou finalmente montada! E como em tudo o que é montagem, amanhã não me mexerei com as dores – mas estarei decerto muito feliz!



P.S.: este texto, na minha perspectiva, está aquém do que poderia ser, contudo, após o esforço efectuado, os meus dois neurónios negaram-se a qualquer cooperação na sua redacção, recolhendo-se preguiçosamente para um descanso mais que merecido - algo que farei igualmente de seguida.


Adenda: entretanto percebi finalmente parte da sinalética do manual de instruções, que os suecos pelos vistos gostam de poupar nas palavras, e que traduzido à letra significa qualquer coisa como "não seja estúpido a querer montar esta merda sozinho e arranje ajuda de uma segunda pessoa!" - só achei desnecessária a sinalética "se não entender um corno telefone-nos a pedir esclarecimentos"; mas o que raio não há a perceber ali?!

14 comentários:

A. disse...

o que eu me fartei de rir!

Vitor Az disse...

Estou a imaginar-te a lutar com a estante! hehehe

PAULO LONTRO disse...

Pelo sim pelo não, não te aproximes dela nos próximos dias...
:)

PAULO LONTRO disse...

Já me esquecia... podias ter-me chamado!

Conde disse...

O termo "auto retrato" não te diz nada!. È que gostava de te ver com "essa" farda de trolha em plena actividade.

K disse...

A., eu ainda estou a rir-me!!

AZ, não dá para imaginar, só mesmo visto!!!

Paulo, pois podia, mas eu e esta mania de não incomodar ninguém e que se quero as coisas feitas tenho eu que fazê-las até me esqueço de quem poderia pedir ajuda! Mas não faz mal. Estou extremamente orgulhosa de o ter conseguido fazer sozinha!!!

Conde, naaaaaaaaa. Ainda gosto bastante dos meus visitantes!

Bruno disse...

gosto de nalgas. lol

K disse...

Quem não gosta?? ;]

Gata2000 disse...

Eu revi-me no teu texto, acredita que eu já fiz o mesmo, mas com uma cadeira do IKEA, sim que tudo o resto, o camionista lá de casa trata com grande mestria, e eu já o vi a suar as estopinhas para montar camas, armários, estantes e não foi uma visão a reter na retina, imagina se fosse ao contrário. HEHE
Beijinhos e parabens

K disse...

Não querendo desfazer - expressão muito tuga que penso que o MEC abordou numa das suas excelentes crónicas - uma cadeira não é uma estante!! A começar pelo peso. Conquanto acredito que tenha dado trabalho na mesma. Mas agora que dizes que o teu homem suou as estopinhas a montar dessas coisas ainda me sinto mais orgulhosa pá! Eh, sou grande!!! Obrigada minha linda pelos parabéns. É que fiquei mesmo orgulhosa!

homesick.alien disse...

uau estou orgulhoso de ti! tudo sem a minha ajuda?!! mas agora essa estante tem de passar no crashtest =D de qualquer forma não sei se te poderia ter ajudado muito porque já tive a mesma experiência a montar aquela mesinha negra IKEA que tenho na sala...digamos que a minha alegada masculinidade acaba quando se trata de bricolage...aliás só a palavra bricolage soa tão panisgas que é obviamente uma actividade feminina. homem que é homem enfrenta touros e emborca garrafas de tinto, não monta armários do IKEA e muito menos ao domingo à tarde quando ainda está a choramingar a derrota do benfica.

K disse...

Ahahahahahahahahahahah! Então bricolage é panisgas? Desculpas, meu caro! Desculpas! Mas se quiseres falamos antes em trabalhos manuais, se é que te parece mais macho. E montar uma estante que tem como dimensões 149x79x39 não me parece lá coisa muito feminina...

Perdidamente disse...

A estante parece mm maciça!!!
Parabêns,minha trolha!
bjinhos

K disse...

Ah, não assim tão maciça gracinhas ao senhor! Ou então não teria mesmo conseguido tal façanha (as placas exteriores são aparentemente ocas, mas tudo junto ainda pesa qualquer coisinha)

Beijos lindona. Vou a Lx este fim-de-semana! ;]