12 fevereiro 2007

A minha Dama

Barcelona, 7 de Julho de 2005 às 15h31
lembras-te mor? da chuvada que apanhamos, tu a torcer as meias, as figuras idiotas em auto-retratos, a fome que nos corroía o estômago, e aquele prazenteiro pátio onde descobrimos aquele petit e simpático restaurante com comida deliciosa? lembras-te mor? tenho saudades de nós mulher. não, uma amizade assim não pode se perder. é um amor demasiado grande e bonito para ser votado ao abandono. temos que lhe dar uma injecção de vida. vamos para a galderice? só nós as duas a arrasar com tudo e todos? vamos? anda daí!
[este é o post que faltava. ou um dos que faltava. a essa Mulher que é um dos meus maiores amores e um marco incontornável na minha vida. a ela, tudo. porque merece. porque sim. porque quero.]
Amo-te gaja boa!
P.S.: já estás feliz agora? ;p

4 comentários:

Zorze disse...

Ouve-a bem! Tenho a certeza que a "senhora" da máquina fotográfica gosta mesmo muito de ti! By the way, excelente foto! E, sim(!), vejam lá se vão para a galderice; eu já retomei vezes sem contas amizades que me confortam o peito! Beijos **

Nëka disse...

"La Solea" é como se chama esse cantinho de delicias....amizade interrompida? "Nós" ainda existimos! Os sentimentos especiais, as relações especiais não se dissolvem nem com o tempo, nem com as circunstâncias...também te amo muito amiga!

K disse...

Pois, não me lembrava do nome, tu é que ficaste com o cartão garganeira! Acho eu...
Ninguém disse que tinha sido interrompida...está assim em banho maria...mais coisa menos coisa...enfim, recupera-se muito bem. Porque, lá está, existe esse sentimento todo.

bjo bjo bjo...váche! ;p

Desinformador disse...

Correndo o risco de não ser nada origingal, 'xê dâmâ, vâmo dâ um dance?'

lol