03 janeiro 2007

O meu desejo

Bairro Alto, Lisboa
Esta foto foi tirada, no fim de Fevereiro do ano passado, a uma montra de uma loja na, se a memória não me falha, Rua da Rosa. Naquela altura era um prazer andar à descoberta de arte urbana pelas ruas do Bairro. Actualmente, saturado de cartazes publicitários, riscos e rabiscos e outras coisas que tais, o Bairro encontra-se visualmente poluído e cansa-me a vista. Pior. Acima de tudo, cansa-me a alma.

10 comentários:

EU disse...

nunca fui ao bairro alto..

mas gostava conhecer a arte por esses lados q dizem estar carregadinhos desta cultura...


e ja agora deixar uns morceguitos a assombrar os cantos

ladoalado disse...

andei por lá ontem. já não ia há uns tempinhos. de facto, a poluição visual é sufocante. primeiro, encobre a beleza arquitectónica típica do Bairro Alto. depois, a proliferação de mensagens transforma o 'único' em 'massa'.

zamotanaiv disse...

temos bairros tão bonitos em lisboa, cheios de recantos apeteciveis para largar stencels, stencels feitos para esses recantos. mas a malta quer toda aparecer na net e como sabem que a k passa no bairro vez em quando, pronto, é o que se vê. :)

Nani disse...

NÃO RISQUEM A ALMA DA K, PORRA!

K disse...

Eu: uma visita ao Bairro, especialmente à noite, é obrigatória. É das coisas que sinto mais saudades de Lisboa.
Quanto a estar carregadinho, já esteve mais. Actualmente está caoticamente carregadinho do que não interessa.

Ladoalado: linda, eu não poderia dizê-lo melhor que tu. Tanto não poderia que não o fiz! É exactamente isso que me faz sentir, e cujas palavras não encontrava, a descaracterização do próprio bairro em si, e a massificção dos estimulos visuais tornando quase impossível isolá-los e descobrir alguma coisa que interesse. Cansa!

Zamot: ahahahahah! É isso. Eles vão para o Bairro porque sabem que esta sumidade fotográfica que irradia luz e que sou eu vai lá fotografar. Pois claro! Que tolice a minha não ter pensado nessa hipótese.
Ah! E eu prefiro esses recantos apetecíveis. Vai lá pintar num e depois dá-me a morada. ;p (e a Tv. da Cedofeita, hã?)

Nani: APOIADO!! (ahahahahahahahah! nem imaginas o que me ri com o teu comentário. és lindaaaaaaaaa! beijocas coloridas em espiral)

beijos e abraços para todos que eu continuo umas mãos largas :]

Devir disse...

Beijinhos e Abraços à parte... o Bairro Alto foi lindo. Está lindo. E será sempre um reflexo de tudo e de todos os que por lá passam e continuam a viver e respirar a tradição e arquitectura da antiga Lisboa.

Essa "massa" como lhe chamaram, é única. Deixa de ter um carácter de apreciação visual individual [que por vezes e em alguns locais magoa] para ser um todo. Um colectivo de livre e louca expressão de todos os que por lá passam. Ou não. Todo o Bairro Alto funciona neste momento como um hall of fame. Quem faz alguma coisa quer por algo por lá para ser visto. É lá que toda a gente vai. Os turistas passam por lá e não por Alvalade, Oeiras ou outro bairro qualquer. Também por isso deixam por lá a sua marca. É um local único e isto é incontornável doa a quem doer. E eu. Desculpem, mas se estivesse lavadinho e arrumado não o apreciaria tanto. Para mim passear, beber copos ou trabalhar no bairro é cada vez mais um prazer. Um imensa massa galeria popular cheia de detalhe mensagem e experiências humanas registadas por todo o lado. It's a dirty place but... people got a do it!

A solução para terminar com o tagging? Não há! Mas pode sempre e sempre continuar a ser tema de longos e vastos debates televisivos, cibernauticos ou populares. E ainda agora começou...

Beijinhos. Abraços. E desejos de UM ANO DO CARALHO para Todos!

ps: desculpem-me o vernáculo, mas o excesso de cor, originalidade e a celebração da liberdade de expressão deram-me e dão-me a volta ao miolo!

ladoalado disse...

devir: não quero um Bairro Alto desprovido de vivência quotidiana (ou lavadinho e arrumado como dizes), mas...

se "Quem faz alguma coisa quer por algo por lá para ser visto", como é que se destaca naquela massa?

se o interesse é comunicar, como é que a comunicação é possível com tantas interferências?

também não quero que o tag acabe, faz parte do graffiti. aliás, é o cerne do graffiti. é nele, na sua "simplicidade", que se verifica muito da criatividade e inteligência do writer.

e, sinceramente, se havia alguns tags inteligentes no Bairro Alto há uns bons pares de anos atrás, hoje foram engolidos pela estupidez e avidez humana...

bisc8 disse...

Eu adoro o caos, a desordem e a poluição visual do Bairro Alto :]

Espero que nunca parem de o riscar... também lá tenho uns rabiscos ihihihihihih!!!!

K disse...

Devir, embora perceba o que queiras dizer tenho que concordar com a ladoalado (mulher, quando for grande quero ter uma argumentação como a tua!). Também eu não pretendo um Bairro todo lavadinho e arrumadinho que me faz lembrar sempre meios estéreis e herméticos e desprovidos de vida. Contudo, e ao contrário de ti, eu cada vez tenho mais desprazer em lá ir. O ambiente tornou-se opressivo e acho que deixa de ser liberdade de expressão para se tornar imposição de expressão. Sem que se consiga sequer comunicar. Não gosto. Não gosto mesmo.
E outra coisa que continuo a não perceber é porque raio tem que se associar a arte urbana e todas as suas manifestações a um caos quase obrigatório. Ponderação e bom senso não existe??
Ah! E quando falei em poluição visual não me referia apenas a tags (que já se sabe que eu não gosto salvo raras excepções). Falava também da carrada de cartazes publicitários colocados indiscriminadamente. Dos, alguns, bons, trabalhos que entretanto se perderam. Em suma, do conjunto que para mim é muito pouco apelativo.

E biscoitinha minha linda, não me venhas dizer coisas dessas pá! A lançar beneno no meu cantinho?! ;p
Eu não me dou nada bem com o caos. Mas não somos todos iguais pois não?

(apraz-me ver que contribui para um debate de ideias salutar. bem hajam.)

bisc8 disse...

ah claro! e por isso é que aquilo que é caos para uns, é harmonia para outros... e o importante para uns, é insignificante para outros. E é por isso que isto é tão difícil. E maravilhoso. :]