19 novembro 2006

Uma coisa leva à outra

- Follow the Leader -
Verregaren Straat [Graffiti Street], Gent

Conquanto aprecie arte urbana em muitas das suas vertentes pelas mais variadas razões, a que continua a ter mais peso para mim é aquela que consegue ter uma mensagem subjacente, principalmente no que toca a sátira e crítica política e social, por muito simples ou mesmo imperfeito que o trabalho seja.
Se desde logo associei o trabalho em cima na foto, pelas razões óbvias, à questão da guerra, e me trouxe à memória a música All good soldiers dos Bad Religion, desde ontem que não consigo também desassociar do filme Os Filhos do Homem, o que por sua vez me levou à imagem seguinte, porque a humanidade parece caminhar a passos largos e inexoravelmente para o seu fim, sem que as pessoas se dêem realmente ao trabalho de parar para pensar no assunto.
O ser humano, na sua essência, tem tanto do bem como do mal, dicotomia essa, e já que falamos em filmes, explorada de forma exímia no filme Colisão. Contudo, parece ter uma aptidão inata para apurar o que há de pior dentro de si, o que está patente ao longo da história da humanidade. O poder tem falado mais alto, em detrimento da bondade e altruísmo, e os fins justificam os meios, mesmo que com isso se prejudique os outros. Parece não haver espaço para o amor, puro e genuíno. Ademais, actualmente o ser humano não só tem à disposição meios mais letais de se aniquilar como condenou o planeta a uma morte lenta cuja reversibilidade é questionável.
O irónico nisto tudo é que é tão simples alterar as coisas se cada um de nós contribuir com um pouco que seja. Um gesto, uma acção, uma atitude. Se nos preocuparmos, se nos esforçarmos, se nos modificarmos. Se canalizarmos as nossas energias para um bem comum. A verdade é que o maior poder que temos, é o que menos utilizamos. E apenas depende de nós.
O Amanhã está aí. E pode ser o que quisermos.

- Make a Choice -

Gent

5 comentários:

hole in my vein disse...

Sim senhor... tens umas fotos xelentes!!! :) Pelo menos tens uma prespectiva interessante das coisas!!! Gostei da foto do comboio... boa máquina que tens! Quando for grande quero uma assim do género. A minha é jeitosa mas não tem muito uso! Qualquer dia também me dedico um bocadinho!! É que gosto bastante de fotografia mas vou mais para o preto e branco e tenho a mania do analógico!! Pareço um velho!! Agora que vou mudar de ares pode ser que venha a inspiração! Continua que eu (pelo menos) venho ver e gosto! :)

K disse...

hole in my vein: muito obrigada pelo elogio. é sempre saber que há quem aprecie o nosso trabalho. dá-nos mais força para continuar.
mas olha que a máquina não é assim tão boa como a pintas. é jeitosa e dá para o gasto. o que vale é que há sempre o photoshop para os acertos. ;)
Tem piada que eu gostava de aprender a fazer fotografia com uma analógica. E também gosto muito do preto e branco. Talvez um dia o venha a explorar num outro espaço...

tarciso disse...

As imagens, as palavras, o vazio e o absurdo do ser humano que consumista exaure as fontes da natureza e hedonista não mede o preço que terá que pagar... Estamos mal e os conscientes são em número ainda muito pequeno... mas é preciso multiplicar a crítica, a auto-crítica e denunciar tudo o que destrói dentro e fora do homem!

astropastor disse...

Belas palavras. No que toca a essa questão, da auto-destruição semi-consciente, parece que está tudo numa grande festa, com ácidos e ninguém quer que pare a música. Por isso parece, inevitável, que mais cedo ou mais tarde as coisas acabem mal.

K disse...

Espera...deixa-me saborear o momento...um elogio teu é precioso de tão raro que é...;p

Pois é meu caro, o pior é que somente cerca de metade do planeta, o hemisfério norte, pois o hemisfério sul não tem grandes razões para festejar, é que está numa festa de arromba irresponsável e sem pensar nas consequências. E parece que ninguém se lembra que depois de todos os foguetes lançados pode não sobrar ninguém para apanhar as canas.